10 DRAGS COREANAS pra você amar e seguir no Insta!

As drags estão em alta (ainda bem)! A arte da transformação drag está recebendo reconhecimento e a devida atenção a medida que ganha espaço em séries, filmes, clipes musicais e reality shows pelo mundo. Na Coreia do Sul não é muito diferente. Muitas drags coreanas também vem ganhando público e projetando sua arte até mesmo para fora do país. É o caso de Kimchi e Soju, ambas drags coreanas que ganharam notoriedade mundial ao fazerem parte do seleto elenco do reality show RuPaul’s Drag Race.

Mas, para além de Drag Race, muitas outras drags na Coreia estão com trabalhos interessantes e adotando estéticas igualmente interessantes. Por isso, separamos 10 drags coreanas pra vocês seguirem e acompanharem de perto!

1.NANA KIM

Instagram: @nana_youngrongkim

Provavelmente a drag mais conhecida da nossa lista, Nana já é bem reconhecida por seu trabalho na Coreia, tendo inclusive já atuado em diversos clipes de artistas como Holland e Jenyer.
Drag performática desde o ano de 2007, Nana viu a arte drag pela primeira vez no filme “Hedwig – Rock, Amor e Traição” e conta que drags não eram uma forma de arte muito comum quando começou sua carreira de apresentações em Hongdae. Nana também estudou atuação, o que a aproximou ainda mais da expressividade e performatividade que a vida de drag queen proporciona.
Ela enxerga o drag como uma forma de auto-expressão e acredita que todos nós temos algo dentro de nós mesmos que pode ser liberado através da arte drag. Desepenhando um trabalho rotineiro durante a semana, Nana se apresenta como drag apenas aos finais de semana.

2. KUCIIA DIAMANT

Instagram: @kuciia

Amiga pessoal de Nana, Kuciia Diamant é constantemente vista com ela, inclusive em posts do seu instagram pessoal. Assim como sua companheira de shows, Kuciia também tinha um trabalho comum, mas hoje trabalha como drag queen 100% do tempo e se dedica muito a isso.
Ela estreou sua persona drag por volta de 2013, quando os festivais queer e em parte o próprio movimento LGBTQ+ na Coreia ganhava mais atenção da população coreana. Ela dividia seu tempo entre discussões sobre direitos humanos e suas performances e, por conta disso, acredita que sua drag seja uma espécie de canalizador de esperança para as pessoas.
Kuciia afirma que sempre foi uma criança solitária e sem muitos amigos na infância e que sua drag foi também uma forma de desafiar a si mesma, algo que ela faz até hoje.

3. VITA MIKJU

Instagram: @vitamikju

Talvez os maiores atrativos de Vita Mikju, ao menos num primeiro olhar, sejam as influências do burlesco em sua estética e a sua paixão pelo pole dance, habilidade essa que ela faz questão de exibir com orgulho em seu instagram.
Mikju sempre gostou de questionar as linhas entre o que é considerado masculino e o que é considerado feminino, e a performance drag era exatamente o que ela procurava para quebrar essas regras com muito mais força. Ela vê a arte drag como um forma de protesto e de conseguir mais visibilidade para a comunidade LGBTQ+ no país, afinal, segundo ela, nunca se sabe se o garoto que mora pode na verdade ser gay.

4. G._VAN

Instagram: @g._van

G Van descobriu as drags há relativamente pouco tempo, enquanto trabalhava como barman em um bar de Itaewon, ainda em 2016. O bar ficava em frente a uma boate e um certo dia, G Van viu drags do lado de fora em seu horário de intervalo. Desde então ela demonstrou cada vez mais curiosidade em relação a forma de arte das drags e a forma de se vestirem. Apesar de admitir um certo nervosismo, ela é bastante criteriosa com a escolha de seus figurinos e principalmente das músicas que performa, pois gosta de mensagens fortes e expressivas.
Tendo em mente as dificuldades que enfrentou enquanto ela mesmo crescia, no futuro G Van espera ajudar as gerações mais jovens a entenderem suas próprias identidades.

5. BORI

Instagram: @bori_suk

Uma estrela em ascensão: talvez essa seja uma boa forma de descrever a drag BORI. Trabalhando como dançarino, com um estilo que em alguns momentos lembram a cantora Hwasa (Mamamoo), BORI parece estar bem consciente de qual é seu público na internet e de como atingi-lo. Recentemente ela criou um canal no YouTube onde mostra seus looks, algumas de suas maquiagens, conta um pouco sobre sua vida e traz alguns convidados. Seu canal já conta com mais de 10 mil inscritos, número similar ao de seus seguidores no Instagram, e BORI não dá nenhum indício de que pretende parar por aí.

6. CHINCHA MASHITA

Instagram: @chincha_mashita

Nem sempre é preciso se levar “tão a sério”, e Chincha Mashita parece incorporar muito bem essa ideia. A drag adota um visual bem colorido e divertido e costuma ser bastante brincalhona, principalmente em suas dublagens, que geralmente acontecem na casa noturna Shade Seoul. Dos clássicos do pop como Aqua ao pop recente como Lizzo e Ariana Grande, nada parece estar fora da alçada nos shows de Chincha Mashita.

7. BAMBI

Instagram: @bambiofseoul

Bambi, assim como outras drags da nossa lista, faz parte de um projeto de agenciamento inciado pela boate Neon Milk, que agencia drag queens em Seul. Com figurinos e maquiagem que evocam uma vibe mais sexy e dark, Bambi na realidade se mostra bastante gentil e bem humorada, principalmente em seus momentos off-drag, quando não está montada.
Bambi pode ser comumente vista no canal da Neon Milk no YouTube, onde é comum vermos vídeos dela ensinando mais sobre sua maquiagem, dando dicas de produtos e fazendo vlogs do seu cotidiano com seu namorado, o coreógrafo Jonah Aki.

8. KYAM

Instagram: @canbeallyouneed

Kyam adotou seu apelido da época de escola pra ser seu nome de drag e desde quando fazia faculdade estava envolvida em performances, mas nesse caso com pessoas trans.
Por volta de 2010, ela descobriu a forma e o conceito do que era uma drag queen e a ideia de criar o seu próprio show a atraiu logo de cara. Mesmo concordando que a arte drag pode ser vista também como uma forma de protesto, Kyam prefere manter um filosofia mais “amigável” na sua própria arte, passando uma mensagem própria. O objetivo de seu show, segundo ela, é fazer o público rir, chorar e até mesmo consolá-lo.
Além de drag queen, Kyam também dança profissionalmente e é adepta do voguing.

9. ERICA BALENCIAGA

Instagram: @ericabalenciaga96

Ex-professor de inglês e agora drag queen, Erica Balenciaga afirma que pegou as inspirações para sua criar sua persona drag de tudo aquilo que a fortaleceu enquanto crescia: nomes poderosos do K-pop como BoA, Lee Jung Hyun e Lee Hyori foram de grande influência pra ela.
Por ter crescido numa família extremamente religiosa e conservadora, Erica teve dificuldades e vivia uma vida dupla, o que de certa forma suprimiu a expressão artística que ela guardava dentro de si.
Quando entrou na faculdade ela passou a se envolver mais com o movimento LGBTQ+ e a fazer shows, acontecimento que ela atribui à ajuda que recebeu da comunidade e de pessoas como as drags Kuciia Diamant, Charlotte Goodenough e a ativista Hurricane Kimchi.

10. MORE

Instagram: @morezmin

Por último, mas não menos importante, More é o tipo de drag que consegue incorporar várias formas de arte em um único conceito, e este conceito é sua persona drag. Apesar de toda a complexidade de seu visual e performance, More, que também é dançarina profissional, afirma que sua drag tem um conceito comum e universal.
Ela acredita que a arte drag ainda tem muito o que crescer, sobretudo na Coreia, onde esse tipo de espetáculo fica limitado pelo horário (geralmente à noite) e também geograficamente (em Seul, concentrado em Jongno e Itaewon). Drag queen há mais de 18 anos, More acredita que chegou o momento de toda a arte drag e seu espetáculo subirem a superfície da sociedade.

MAIS SOBRE DRAGS NA COREIA:

Drag Tuesday
Seoul Drag Parade no Instagram
Neon Milk no Instagram e no YouTube
QBar no Facebook
Rabbithole Arcade Pub no Facebook
The Link no Facebook

E você, já conhecia as drags do top? Tem alguma que você gostaria de ter visto? Conta pra gente nos comentários!

Tradução e adaptação: Jô Mesquita
FONTES: Huffington Post, 10 magazine, Vice, Neon Milk
Não retirar sem os devidos créditos.