Empresas são investigadas por manipulação de votos no Produce X 101

Reality de sucesso da MNET, Produce X 101, enfrenta uma onda de polêmicas relacionadas a manipulação de votos. No desenvolvimento mais recente, a polícia anunciou que está investigando três empresas de trainees integrantes do grupo final X1: Starship, Woollim e MBK. Em 1º de outubro, a unidade de investigação cibernética foi na sede das agências para procurar materiais ou arquivos que indicassem a manipulação.

Dos 11 integrantes do grupo, 5 são de uma das três agências: Song Hyeongjun (4º lugar) e Kang Minhee (10º) da Starship, Cha Junho (9º) da Woollim, Lee Hangyul (7º) e Nam Dohyon (8º) da MBK. As demais empresas responsáveis por integrantes do X1, OUI, TOP Media, Plan A, Yuehua, DSP e Brand New Music, não estão sendo investigadas no momento.

As primeiras suspeitas

A denúncia de manipulação de votos no Produce X 101 começou logo após o final do programa, por parte dos próprios fãs. Após analisar o número de votos divulgado pela MNET, os espectadores perceberam uma improvável coincidência na diferença entre os ranks. Eles apontaram que a quantidade de votos entre o 1º e o 2º lugar foi de 29978 votos. Só que este mesmo número também é a diferença entre o 3º e o 4º lugar, entre o 6º e o 7º, entre o 7º e 8º e entre 10º e 11º.

Como se isso não bastasse, outros números se repetem. Investigando mais a fundo, eles perceberam que o denominador comum era 7494,442 pontos. Quase todos os valores entre os ranks dos finalistas são múltiplos deste número. As pontuais exceções são mudanças de poucos dígitos. O número que falamos antes, 29978, é exatamente 4 vezes 7494,5. As mesmas pessoas ainda investigaram o Produce 48 e descobriram o mesmo fenômeno, mas com o denominador de 445,2178.

Até mesmo um político, Ha Tae Kyung, do partido Bareun Mirae, se manifestou requisitando uma investigação na Mnet por se tratar de uma possível fraude. Embora a Mnet tenha se recusado a responder inicialmente, posteriormente admitiram que os números estavam incorretos, mas que o resultado final era o mesmo. Eles justificaram que o problema foi causado por um erro de cálculos.

Basicamente, durante a verificação, os votos eram convertidos para porcentagem e depois o número era arredondado para duas casas decimais. O número exibido na final teria sido convertido depois dessa alteração, o que causou a anomalia. Isto explica o denominador comum, uma vez que a média de todos os votos – caso fossem distribuídos igualmente entre os 20 finalistas – é 7494444,2. O mesmo teria acontecido na temporada anterior.

Este argumento, no entanto, não satisfez o público e a Mnet deu outra declaração. A emissora se desculpou pela confusão e contou que pediram auxílio de investigadores para entender o problema, encontrar a verdade e agir como precisarem para corrigir.

A investigação se expande

Em agosto, a Agência de Polícia Metropolitana de Seul conduziu buscas nos escritórios da CJ ENM – dona da Mnet – e da empresa responsável pela contabilização dos votos no programa. A ideia era procurar documentos, mensagens, transações monetárias e até declarações de funcionários que atestassem a manipulação de votos. É este mesmo procedimento que está sendo realizado agora com a Starship, Woollim e MBK.

Já em setembro, a polícia revelou em uma coletiva de imprensa que vão investigar todas as 4 temporadas do Produce 101 para determinar se houve fraude e descumprimento da lei. No entanto, deixaram claro que, por estar em andamento, não podem divulgar que tipo de informações encontraram até o momento.

Dito isso, neste 1º de outubro o jornal coreano No Cut News noticiou que a polícia confirmou que houve armação nos resultados. Segundo eles, a suspeita é que 2 ou 3 integrantes do X1 tenham recebido votos de outros trainees, que foram eliminados, e entraram no grupo final por causa disso. Não foram informados nomes.

A Starship divulgou uma declaração oficial dizendo que entendem que a polícia está investigando a CJ ENM sobre a suposta manipulação, que é natural averiguarem as empresas parceiras e que vão cooperar com a polícia. A Woollim e a MBK ainda não se pronunciaram.

Uma observação é a presença de trainees das três agências participaram ao longo das 4 temporadas do programa. Na primeira temporada, Yoo Yeonjung (do grupo WJSN) da Starship e Jung Chaeyeon (do DIA) da MBK entraram no IOI.

Na segunda temporada, dessas três apenas a Starship levou trainees, mas nenhum deles entrou no Wanna One. No atual IZ*ONE temos Jang Wonyoung e Ahn Yujin da Starship, e Kwon Eunbi e Kim Chaewon da Woollim. Esta foi a primeira participação da Woollim no Produce.

Portanto, caso se trate de uma manipulação desde a primeira temporada, diferentes agências foram beneficiadas. Apesar de todas as acusações, sem os detalhes da investigação não temos como verificar a veracidade e muito menos encontrar os verdadeiros culpados do caso por enquanto. Esperamos que toda a situação se esclareça para que nem os fãs nem os idols sejam enganados.

Por Paula Bastos Araripe
Fontes: Soompi, Koreaboo, Eonline, Knetizen, Asian Junkie, Allkpop, TBIvision, Kpopmap, Reddit.
Não retirar sem os devidos créditos.