[Dossiê] Entenda o caso de manipulação de votos envolvendo o Produce X 101

Na última semana os fãs de Kpop, principalmente aqueles que acompanham a série de survival Produce, foram pegos de surpresa pela notícia da prisão do até então PD do programa (Ahn Joon Young). O caso está repercutindo e novos fatos, elementos e depoimentos acrescentam novos rumos para as investigações. Por isso, a KoreaIN traz pra você tudo o que você precisa saber para entender o caso envolvendo a série da MNET e como isso afeta os grupos formados por esses reality shows.


O início

A controvérsia tem início ainda no mês de julho, logo após o anúncio do line-up final que formaria o grupo X1. Com a revelação do grupo final, também foram revelados o número de votos que cada trainee teria recebido do público.

No entanto, muitos fãs do programa começaram a suspeitar dos números após perceberem que a diferença de votos entre os candidatos do line-up final era coincidentemente proporcional: a diferença de votos entre alguns pares de candidatos era de exatamente 29.978 votos, um padrão que se repetia de forma proporcional em todas as posições do line-up final, como mostrou um usuário do Twitter:

O público então começou a demandar explicações da MNET sobre a possível manipulação de votos. A princípio a produtora negou haver manipulação afirmando que “era interessante que a diferença de votos se repetisse tantas vezes, mas que estes eram os números“. Pouco tempo depois abriu-se uma investigação interna para apurar uma possível alteração nos dados recebidos do público votante.


As Investigações

Antes do fim do mês de julho, a MNET afirmou através de um comunicado que não haviam alterações no ranking final do programa, mas admitiu ter havido erros no cálculo dos dados recebidos. A empresa prometeu trabalhar com mais transparência no futuro.

No fim do mês, a polícia entrou oficialmente no caso e o seu time de investigações cibernéticas passou a investigação a “possível manipulação de votos feitas pelos produtores do programa a fim de obter ganhos pessoais”. A investigação policial começou a pedido da própria MNET, que afirmou haverem limites para a sua investigação interna.

A apuração do caso seguiu por todo o mês de agosto, quando as autoridades emitiram mandados de busca e apreensão. Realizaram perícia em diversos locais, incluindo os edifícios onde ficam localizados os escritórios da MNET e da CJ ENM.

Foram analisados aparelhos eletrônicos, incluindo os celulares dos executivos. Muitos funcionários e outras pessoas relacionadas ao caso foram chamadas para depor e prestar esclarecimentos. Rumores afirmavam que a polícia estaria em posse de uma gravação que comprovava a manipulação de votos, mas os oficiais não quiseram comentar o rumor, afim de manter a integridade das buscas.

Mais tarde, no mês de setembro, também foi revelado que muito do material confiscado dizia respeito também às edições anteriores do programa. Portanto, dali em diante, estas edições da série “Produce” também seriam averiguados, bem como o reality “Idol School“.

Durante o mês de outubro, as investigações tomam um rumo mais específico: os produtores do programa, incluindo Ahn Joon Young, teriam feito a manipulação em acordo com agências coreanas no intuito de ganho exclusivamente financeiro. Os indivíduos passariam por uma quebra de sigilo bancário, assim como as contas das pessoas relacionadas a eles.

No mesmo mês o inquérito levou as autoridades à buscas em diversas agências, entre elas a Starship Entertainment, a MBK Entertainment e a Woollim Entertainment. A Starship afirmou em comunicado oficial que iria colaborar com o que fosse possível nas investigações.


As Prisões

No início do mês de novembro, dia 4, a MNET revelou que mandados de prisão haviam sido expedidos para alguns staffs do Produce X 101. Na ocasião, através de um comunicado oficial, a empresa pediu desculpas ao público e afirmou estar acompanhando o caso de perto juntamente com a polícia. Confira o comunicado completo:

“Gostaríamos de expressar nossas mais sinceras desculpas pela controvérsia causada pelo ‘Produce X 101’ da MNET.
No fim de julho, nós determinamos que a nossa investigação interna sobre o assunto necessitava de um limite, e requisitamos uma investigação policial. Confirmamos que a polícia expediu mandados de prisão para algumas das pessoas envolvidas na produção do “Produce X 101” e estamos acompanhando o caso de perto.
A MNET continuará a cooperar ativamente com as investigações, e se houver algo que a MNET necessite tomar responsabilidade ao fim das investigações, nós faremos.
Mais uma vez, gostaríamos de nos desculpar com todos os fãs e telespectadores que acompanharam o ‘Produce X 101’, assim como as agências e todo o pessoal afiliado.
No entanto, gostaríamos de pedir a todos que se abstenham de afirmações especulativas relacionadas aos artistas afetados através deste incidente.”

No dia seguinte, foi reportado que a polícia coreana havia pedido a proibição de viagem (quando um acusado não pode deixar o país) dos produtores do “Produce X 101” e também do vice presidente da Starship Entertainment.

No mesmo dia, a Corte do Distrito Central de Seul avaliou se os mandados de prisão eram válidos e as prisões preventivas do diretor de produção (Ahn Joon Young) e do chefe de produção (Kim Yong Bum) foram decretadas. Os outros mandados de prisão requeridos, incluindo a do vice presidente da Starship Entertainment, foram negados.



Segundo a SBS no último dia 6, Ahn Joon Young admitiu ter manipulado os resultados do “Produce X 101” e do “Produce 48”, mas negou ter feito o mesmo com a primeira e a segunda temporada do reality show. Joon Young teria sido subornado por agências através de, entre outras coisas e do dinheiro, entretenimento adulto. Ainda segundo a SBS, Ahn Joon Young teria recebido serviços adultos que, se somados, beirariam os 90 mil doláres.

Apesar das prisões, a polícia continua as investigações em torno dos programas da MNET.


A Reação do Público

As reações do público em relação ao caso tem sido diversa. Muitos estudam boicote aos grupos formados pelos programas, outro defendem a permanência da formação final e promoções contínuas, outros pedem a correção das formações e alguns pedem inclusive o disband total .

É preciso lembrar que a série de programas “Produce” deu origem a vários grupos de sucesso como: I.O.I, Wanna One, IZ*ONE e, mais recente, o X1. O formato trazido pelo programa foi um sucesso estrondoso na Ásia, além da própria Coreia, sendo exportado para outros países, chamando atenção dentro e fora do continente. Agora, com toda a controvérsia envolvendo a MNET e a CJ ENM, o futuro tanto da série quanto dos grupos formados por ela são incertos.

Um dos principais atingidos pela repercussão do caso foi o IZ*ONE, formado pelo “Produce 48”. Em meio à controvérsia, tanto o lançamento do primeiro álbum completo do grupo (o BLOOM*IZ), quanto o showcase de comeback, foram adiados por tempo indeterminado. O boicote também está vindo das emissoras de TV que tinham aparições agendadas ou já gravadas com o grupo. O cancelamento da participação delas nos programas está sendo estudado e em alguns casos, programas forem editados, retirando o grupo. O IZ*ONE, além de todos os outros formados pela série, também vem sofrendo vários ataques de internautas, que se dividem entre o “merecimento e talento do grupo” e o possível “lugar de outros trainees não classificados” para o grupo.

O integrante do AB6IX e ex-integrante do line-up final do Wanna One, Lee Dae Hwi, comentou o caso na conferência do novo mini-drama que fará parte, “Mon Chou Chou Global House“, no último dia 8:

“É de partir o coração. É tão lamentável que até mesmo o trabalho duro dos participantes esteja sendo ofuscado. Espero que eles consigam passar por isso também.”

Apesar de toda a incerteza, as investigações continuam e toda a controvérsia envolvendo a série Produce parece longe de acabar. O que você pensa sobre este caso? Conta pra gente nos comentários.

Por Jô Mesquita
Fontes: Soompi, Naver, Allkpop
Não retirar sem os devidos créditos